Conhecendo Alguns Radioamadores

Por: LUIZ CARLOS NUNES D’ANGELO – PY5CDI

LUIZ CARLOS NUNES D’ANGELO – PY5CDI

Luiz Carlos Nunes D’Angelo nasceu a 07 de fevereiro de1937, no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, filho de Guido D’Angelo e Maria Nunes D’Angelo. Aos oito meses, foi levado para Cruz Alta, Rio Grande do Sul, terra natal de seus pais; aos seis anos, para Pelotas-RS, aos sete, para o Rio de Janeiro, permanecendo até 1962. Estas mudanças resultaram das obrigações militares de seu pai, oficial do Exército. Concluiu o Curso Primário em 1949, ingressou no Curso Secundário em 1950. Durante o Curso Secundário, estudou teoria musical e solfejo, violino (efemeramente), piano (dois anos), radiotelegrafia, noções de eletricidade e eletrônica. Fez parte ativa do “Clube Agrícola Mauá”, criado em seu educandário àquela época. Com breve discurso, em 17 de setembro de 1949, saudou o então Gen. Eurico Gaspar Dutra, Presidente da República, em visita ao educandário. Em 1952, associou-se à Liga de Amadores Brasileiros de Rádio Emissão – LABRE, sob a matrícula nº 7.865.

Em 14 de abril de 1953, habilitou-se à classe juvenil do radioamadorismo, recebendo o Indicativo de Chamada PY1BFP. Titulou-se em “professor e inspetor de cegos” em curso de 600 horas, promovido pelo Ministério da Educação e Cultura, no Instituto Benjamin Constant; Estudou Esperanto, na Liga Brasileira de Esperanto; Redigiu e apresentou o programa “Esperanto, Língua Internacional”, de 1955 a 1957, pela Rádio Ministério da Educação e Cultura; Em 19 de dezembro de 1959, bacharelou-se em Jornalismo, pela Faculdade Nacional de Filosofia da UB; Em 04 de agosto de 1960, participou da 5ª Concentração de Radioamadores da 5ª Região, em Brusque-SC, apresentando trabalho escrito sobre problemas do Radioamadorismo. Em 19 de dezembro de 1961, bacharelou-se em Ciências Jurídicas e Sociais, pela Faculdade de Direito da atual UERJ; Foi funcionário do SESI de Santa Catarina, de 1962 a 1967, exercendo: a) atividades de reabilitação e colocação de pessoas com deficiência; b) Redação e apresentação, com Vilson Mendes, de 1963 a 1964, do programa “Pela Paz Social”, na Rádio Guarujá de Florianópolis; c) Redação de discursos para a diretoria;

Exerceu a advocacia, de 1963 a 1967, com escritório em Florianópolis; Em 09 de dezembro de 1964, foi lhe conferido o certificado de Monitor em Apicultura, pela Secretaria de Agricultura de Santa Catarina. Em 12 de junho de 1965, casou-se no Estado do Rio de Janeiro, com Henriqueta Garcia Ximene, que passou a chamar-se Henriqueta Garcia D’Angelo. Henriqueta ingressou ao Serviço de Radioamador, obtendo o Indicativo de Chamada PY5CGM. Montou e dirigiu, com Celina Ferreira Fernandes e Henriqueta Garcia D’Angelo, de 1965 a 1976, em Florianópolis, Joinville e Curitiba, escolas de datilografia, tendo ministrado aulas e desenvolvido método próprio para o aprendizado de digitação. Em 17 de julho de 1966, nasceu Guido Garcia D’Angelo, seu filho. Redigiu e imprimiu apostilas, com H. G. D’Angelo, de 1966 a 1975, para o Colégio 19 de Dezembro, de Curitiba; Em 01 de março de 1968, foi aceito, juntamente com sua esposa, na Ordem Rosacruz, conforme nº 35638P. Exerceu a direção administrativa da Associação Catarinense para a Integração do Cego (ACIC), de Florianópolis. Em maio de 1968, de 17 a 24, realizou conferências sobre Radioamadorismo e sobre ensino especializado, em Passo Fundo, Rio Grande do Sul, a convite do Rotary Club local.

Em 31 de maio de 1968, passou a residir na cidade de Curitiba, Paraná. Detentor do Indicativo de Chamada PY5CDI. De 06 a 10 de outubro de 1970, realizou conferências sobre Radioamadorismo e sobre ensino especializado, em diversos educandários da cidade de Canoinhas-SC, a convite da Prefeitura loca. Em 20 de junho de 1972, concluiu um curso sobre Parapsicologia, ministrado pelo Padre Oscar Gonzáles Quevedo. Em abril de 1973, concluiu um curso de Musicoterapia pelo método Orff-Kodaly. Em fevereiro de 1981, participou da Reunião dos Dirigentes da LABRE da Região Centro-Sul, tendo sido incumbido de redigir e editar a minuta de Ante-projeto para a reforma estatutária da Entidade. Publicou pela “Papa Livro” Editora de Florianópolis “Ortografia Fonétika Luzitana” – 1993. Autor do livro “Coitadinho ou Cidadão?”, Editado pela Livre Expressão, em 2004. Autor do livro “Manifesto por uma simplificação ortográfica”, editado pela Livre Expressão, em 2006. Luiz Carlos Nunes D’Angelo atualmente reside na cidade do Rio de Janeiro.