Capela Nosso Senhor Jesus do Bom Fim

IGREJA DO BOM FIM

 

A IGREJA DO BOM FIM

A Igreja Senhor do Bom Fim (1867), situada na Avenida Osvaldo Aranha, 452, no Bairro Bom Fim, é, ao lado da Igreja das Dores (1807) e da Igreja de Nossa Senhora da Conceição (1858), uma das poucas igrejas católicas construídas em Porto Alegre no tempo do Império e remanescentes até hoje. Embora não possa ostentar a majestade de uma catedral gótica ou barroca, foi construída em estilo eclético, incluindo o colonial português, o neoclássico e o neogótico. Conforme alguns historiadores, a Capela Senhor do Bom Fim constitui um referencial de sua época, pois acabou dando nome ao atual bairro do Bom Fim. Algo parecido aconteceu com o atual Parque da Redenção, que alguns também insistem em chamar Parque Farroupilha. Em épocas diferentes ele foi também Campo da Várzea, Campo do Bom Fim e Campo da Redenção.

A CONSTRUÇÃO

No dia 17 de janeiro de 1864 funda-se no bairro, a Devoção do Senhor Jesus do Bom Fim, nos moldes da irmandade Senhor do Bom Fim de Salvador, Bahia. Mas a primeira referência à igreja vem de 1866, quando Dom Sebastião Dias Laranjeira, segundo bispo do Rio Grande do Sul, autoriza a construção do templo, agora já além de centenário. Em 1867, o Cônego José Inácio de Carvalho Freitas, que mais tarde deixará seu nome a uma das ruas da capital, preside o ato de bênção e do lançamento da pedra fundamental.

A INAUGURAÇÃO

Em 1872, promove-se a primeira festa do padroeiro e, em 1883, embora ainda não totalmente concluída, acontece a solene inauguração da capela. A partir dessa data, capelães ou reitores se sucedem ininterruptamente no atendimento pastoral da comunidade. Entre eles há um notável gaúcho que foi capelão apenas por um ano, em 1887, mas merece atenção especial. Trata-se do incrível Padre Roberto Landell de Moura, que, além de sacerdote, foi cientista e inventor. É ele o pioneiro inventor que, com aparelhos de sua invenção, transmitiu fonia e telegrafia sem fio, por ondas eletromagnéticas e ondas luminosas, verdadeiro inventor do telefone sem fio, do transmissor de ondas, precursor do rádio. Muitas são as pessoas que participaram da Devoção do Senhor do Bom Fim. Entre tantos, destacamos Archimedes Fortini, General José Joaquim de Andrade Neves (filho do Barão do Triunfo), Achyles Porto Alegre, Apolinário Porto Alegre e Ignácio Montanha.

A bênção e inauguração do crucifixo na Capela aconteceu no dia 15 de janeiro de 1888. A imagem do Cristo Crucificado saiu, pela primeira vez, numa procissão histórica às ruas da capital em 1932.

O PADROEIRO

Um Cristo, em tamanho natural, lembrando o Senhor do Bom Fim representa o padroeiro da capela. A referida imagem veio das Missões Jesuíticas do Paraguai, trazida para Porto Alegre, via São Borja, por um distinto oficial do Exército conhecido como General José Joaquim de Andrade Neves. O general ofereceu a preciosa imagem ao Monsenhor Vicente da Costa Pinheiro, que, por sua vez, a entregou como doação, à Devoção Senhor Jesus do Bom Fim. A bênção e inauguração do crucifixo na Capela aconteceu no dia 15 de janeiro de 1888. A imagem do Cristo Crucificado saiu, pela primeira vez, numa procissão histórica às ruas da capital em 1932. Depois também em 1948, por ocasião do 5º Congresso Eucarístico Nacional, celebrado com grande brilho na Capital gaúcha.

A CAPELA E OS ESCRAVOS

Iniciada em 1867 e inaugurada em 1883, a Capela Senhor do Bom Fim surgiu na época da abolição que, segundo informações do Centro Abolicionista de Porto Alegre, chegou a esta capital bem antes que em qualquer outro lugar do Brasil. O mesmo Centro Abolicionista informa que em 7 de setembro de 1884, a Câmara Municipal de Porto Alegre declarou extinta a escravidão nesta cidade. Na Semana da Libertação nada menos que 870 pessoas libertaram seus escravos. Entretanto, no início a situação dos negros não melhorou com a abolição. Livres, muitos deles foram abandonados no Campo do Bom Fim, restando a eles como referência somente a capela que leva o nome de Senhor do Bom Fim. Muitos tiveram que comprar a liberdade trabalhando de graça para o patrão, de um a cinco anos. Sem comida, sem roupa e sem remédio, que antes eram atribuições de seus donos, os negros, aglomerados no Campo do Bom Fim iniciaram o processo de marginalização. Muitos antigos escravos escolheram o Senhor do Bom Fim como seu padroeiro e intercessor e colocaram nele a sua confiança e esperança. Em 1951, os padres redentoristas assumiram o atendimento religioso na capela e introduziram a devoção de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Pe. Fridolino Strehl e Elton Bozzetto, em 03 de junho de 2001

DATAS MARCANTES

17.01.1864 - Funda-se em Porto Alegre a irmandade denominada Devoção Senhor Jesus do Bom Fim.
26.09.1866 - Dona Feliciana Alexandrina da Silva Câmara fez doação de um terreno para edificação da Capela.
16.11.1866 - As autoridades eclesiásticas autorizam a construção da Capela Senhor do Bom Fim.
30.05.1867 - Início das obras de construção do templo, Pedra Fundamental.
01.09.1883 - Inauguração e benção solene da Capela.

28.02.1887 - O inventor e cientista Padre Roberto Landell de Moura foi nomeado capelão da Igreja do Bom Fim.

15.01.1888 - Bênção e inauguração da imagem do padroeiro, Senhor Jesus do Bom Fim.
1913 - Conclusão da terceira e última fase da construção da Capela.
1932 - A primeira procissão com a imagem do Senhor do Bom Fim durante a Revolução Paulista.
1948 - A segunda procissão com a imagem do Senhor do Bom Fim, no 5º Congresso Eucarístico Nacional, celebrado em Porto Alegre, com imenso brilho e fé.
1951 - A Congregação do Santíssimo Redentor assume as atividades pastorais da Igreja do Bom Fim.
1972 - A Igreja é interditada para uso dos fiéis devido ao iminente perigo de desabamento do telhado e do arco central.
1977 - Pela Lei Municipal nº 4.317, a Capela é considerada “um prédio de valor histórico e cultural e de expressiva tradição para a Cidade”.
1979 - A Prefeitura Municipal de Porto Alegre declara o tombamento do imóvel, autorizando a sua restauração através da Equipe do Patrimônio Histórico Cultural.
1983 - Equipe do Patrimônio Histórico Cultural iniciou a restauração da Capela.
1987 - A Equipe do Patrimônio Histórico Cultural de Porto Alegre devolve a Igreja, quase inteiramente restaurada, para o atendimento pastoral da Congregação do Santíssimo Redentor.
12.12.1987 - Foi realizada a 1ª Missa de reabertura da Capela do Nosso Senhor Jesus do Bom Fim.